COMO MELHORAR A MEMÓRIA COM A ALIMENTAÇÃO

2.jpg

Você tem se sentido mais disperso do que o habitual? Esquece datas e compromissos com facilidade? Está em vias de fazer uma importante prova e precisa do cérebro funcionando a todo o vapor? Pode até parecer surpreendente, mas é perfeitamente possível dar um up na memória de forma natural e saudável. O segredo por trás disso? Uma alimentação balanceada, nutritiva e inteligente.

Ficou curioso? Confira abaixo alguns alimentos que poderão turbinar a sua memória e potencializar o seu rendimento ao longo de todo o dia. Preparado? Vamos conhecê-los!

O milagroso ômega 3

02.png

Encontrado em abundância nos peixes, na chia e na linhaça, o ômega 3 é componente básico de um órgão que nos é muito caro: o cérebro. Isso mesmo, esse curioso ácido graxo protege como ninguém a nossa saúde cerebral, estando presente inclusive na composição dos neurônios. Eis um aliando importante para quem busca potencializar a memória e a concentração. Quer mais? A substância é igualmente importante para a manutenção da saúde cardiovascular. Por isso, já sabe! Para manter o bom funcionamento do corpo, invista no ômega 3! #ComerÉCelebrarAVida

As preciosas uvas

002.png

As uvas vermelhas e roxas possuem um componente em especial que é capaz de fazer verdadeiras maravilhas pelo sistema nervoso: os flavonoides. Essa substância atua diretamente no sistema nervoso, protegendo-o e regulando a regeneração dos neurônios. Bacana, não é mesmo? Além das uvas, os flavonoides podem ser encontrados nas amoras, no cacau e até mesmo no vinho tinto — só não vá exagerar na dose!

A vez do integral!

0002.png

Ricos em vitamina B e minerais essenciais (como é o caso do fósforo), os grãos integrais são muito mais nutritivos e saudáveis que seus parceiros refinados. Na hora de partir para as compras, deixe de lado o arroz ou farinha branca e opte pela versão integral desses alimentos. O mesmo serve para o milho e a aveia. Você em breve começará a sentir a diferença! #Sabor&Saúde

Escolha o natural

00002.png

Cheios de açúcar, gordura ou aditivos químicos, os produtos refinados e industrializados geram uma enorme quantidade de radicais livres, o que pode afetar a saúde de todo o nosso corpo, bem como acelerar o processo de envelhecimento celular. Ninguém quer isso, não é mesmo? Por isso, sempre que possível, dê lugar à comida natural. Encha o prato e a dispensa com frutas, verduras e legumes — especialmente se forem orgânicos. Ricos em antioxidantes e livres de conservantes, eles poderão combater os radicais livres e manter seu organismo (isso inclui o cérebro!) muito mais saudável! #DaHortaParaMesa.

Saborosos morangos

000002.png

Além de delicioso e versátil, o morango possui em sua composição um ingrediente especial chamado de fisetina. Esse nutriente é capaz de reduzir os níveis de esquecimento e facilitar o armazenamento de memórias. Interessante, não é mesmo? Agora você já sabe: vá de morango! Sucos, sobremesas, tortas, fruta in natura ou vitaminas. As opções são as mais diversas — é só usar a criatividade. Outros alimentos ricos em fisetina são o tomate, o pêssego, a maça e o kiwi.

A essencial vitamina B12

00000002.png

Sintetizada por bactérias, essa vitamina do complexo B atua diretamente no sistema nervoso e trata-se de um nutriente fundamental para o bom funcionamento das nossas atividades cognitivas. Por isso, fique de olho e invista em alimentos ricos na substância. Alguns exemplos? Produtos de origem animal, como carnes, ovo e derivados lácteos.

Nada de jejum!

Pular refeições ou ficar muitas horas sem comer é um hábito muito ruim para a saúde. Durante o jejum, o nível de açúcar no nosso sangue pode cair de forma drástica, o que deixa o nosso corpo simplesmente sem energia. O resultado? O cérebro passar a funcionar mais devagar para compensar esse déficit — daí que a memória falhe algumas vezes! Quer evitar que isso aconteça? Coma a cada três horas, espalhe as refeições ao longo do dia e certifique-se de que seus pratos sejam saudáveis e nutritivos como o seu corpo merece que sejam!

E aí? Gostou das nossas dicas? Tem outras ideias para turbinar e potencializar a memória? Compartilhe conosco e fique atento para mais conselhos sobre saúde na cozinha! Até breve!