Mindful Eating: prática de autocuidado que promove saúde e bem-estar

mindful eating.jpg

“Mindful Eating: prática de autocuidado que promove saúde e bem-estar”. Essa é uma citação do Mindful Eating Brasil. Você sabe como aplicar essa prática no atendimento clínico? Vamos falar tudo sobre ela e alguns pontos importantes a serem levados em consideração:

Principal definição de Mindful Eating

O relacionamento que temos com a comida vai muito além de uma necessidade fisiológica para cessar a fome. Na verdade, é um dos “relacionamentos” que mais compartilhamos emoções, sensações e desejos, além de ser essencial para todas as fases da vida.

Podemos manter esse vínculo com o alimento e trazer de volta nossas origens no momento de se alimentar, por meio de técnicas de Mindful Eating – mais conhecida como “comer com atenção plena”. É preciso usar todos os 5 sentidos na hora de escolher o que comer, com objetivo de ser gratificante para você e nutritivo para o seu organismo. É, na verdade, uma forma de refletirmos e evitarmos o “piloto automático”, que é uma atitude cada vez mais presente na nossa alimentação.

O Mindful Eating é…

– Promover e reconhecer a experiência alimentar como algo único ao indivíduo.

– Ter autocuidado ao comer, seja em casa, na rua ou em um encontro com amigos e familiares.

– Não fazer julgamento em torno das suas próprias escolhas alimentares.

– Aprender a ter consciência de como fazer escolhas que promovam saúde e bem-estar ao seu corpo e à sua mente.

Quais os 7 passos para comer com consciência?

Aqui, você encontra as técnicas iniciais para começar essa prática com seu paciente:

1- Mude do “piloto automático da alimentação”: a maioria das pessoas come a mesma coisa todos os dias, simplesmente, por não achar importante experimentar coisas diferentes. Mude seus hábitos agora mesmo e inclua novos alimentos na sua rotina!

2- Mastigue de forma atenta, focalizada e consciente: que tal levar os 5 sentidos para as refeições? Sinta o cheiro do alimento, ouça cada mordida, toque (se possível) para sentir a textura e consistência, observe as cores e tonalidades e aprecie o sabor com atenção.

3-  Evite a distração! Desligue a TV, guarde o celular, sente direito na cadeira e não tenha pressa para comer. Assim, você terá consciência do que estará comendo e saberá a hora de parar quando sua fome tiver acabado!

4- Faça um scanner do seu nível de atenção e consciência: como está sua fome em uma escala de um a dez? Você precisa comer neste momento ou consegue esperar? Você está com fome de verdade (aquela que “ronca” o estômago) ou é só vontade de comer? Tudo isso irá ajudar a entender o organismo e saber a hora certa de alimentar-se.

5- Observe seus pensamentos e suas emoções durante as refeições, como, por exemplo, pensamentos negativos, que são capazes de liberarem substâncias prejudiciais à digestão e não trazer benefício algum. Não coma com raiva, medo ou ansiedade.

6- Respire. Sem pressa, esta é a hora de apreciar uma boa refeição e você precisa estar em equilíbrio com você mesmo!

7- Terminou de comer, pare e pense se vale a pena repetir. Aqui, vale uma respiração profunda e alguns minutos de reflexão. Só repita se você achar que a fome realmente permaneceu. Aos poucos, você encontra esse equilíbrio com a sua própria saciedade.

Quer apreciar pratos deliciosos e praticar as técnicas explicadas no conteúdo? Visite o restaurante Le Manjue e confira as receitas imperdíveis do chef Renato Caleffi!

Le Manjue Restaurante